Análisis de la relación entre el valor económico agregado (EVA) y los indicadores del mercado de empresas brasileñas

  • Caroline Sulzbach Pletsch Universidad regional de Blumenau
  • Estelamaris Reif Universidad regional de Blumenau
  • Tarcísio Pedro Da Silva Universidad regional de Blumenau
Palabras clave: Valoración de empresas, EVA, Indicadores del mercado.

Resumen

Este artículo muestra los resultados de un estudio que tuvo como objetivo analizar la relación entre el Valor Económico Agregado (EVA) y los indicadores del mercado de empresas brasileñas perte- necientes al índice IBrX 100 en el período 2008-2012. Se trató de una investigación descriptiva y cuantitativa, que usó como técnica de análisis estadístico la regresión lineal múltiple. Los resultados muestran que solo la variable valor de mercado tiene influencia en el EVA.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

Abuzayed, B., Molyneux, P. & Al-Fayoumi, N. (2009). Market value, book value and earnings: is bank efficiency a missing link? Managerial Finance, 35(2), 156-179.

Angonese, R., Santos, P. & Lavarda, C. (2011). Valor Econômico Agregado (VEA) e estrutura de capital em empresas do IBRX 100. Em: Revista ConTexto, 11(20), 7-17.

Antunes, M. & Procianoy, J. (2003). Os efeitos das decisões de investimentos das empresas sobre os preços de suas ações no mercado de capitais. Em: Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 38(1).

Aramyan, L., Ondersteijn, C., Van Kooten, O. & Lansink, A. (2006). Performance indicators in agri-food production chains. Em: Quantifying the agri-food supply chain: 49-66. Springer Netherlands.

Araújo, A. & Assaf Neto, A. (2003). A contabilidade tradicional e a contabilidade baseada em valor. Em: Revista Contabilidade & Finanças, 14(33): 16-32.

Assaf Neto, A. (2010). Finanças Corporativas e Valor. 5° ed. São Paulo: Atlas.

Assaf Neto, A. (2012). Finanças Corporativas e Valor. 6° ed. São Paulo: Atlas.

Assaf Neto, A., Araújo, A. & Fregonesi, M. (2006). Gestão baseada em valor aplicada ao terceiro setor. Em: Revista Contabilidade & Finanças-USP: 105-118.

Backes, J. (2002). EVA-Valor Econômico Agregado. Em: ConTexto, 2(3).

Biddle, G., Bowen, R. & Wallace, J. (1997). Does EVA beat earnings? Evidence on associations with stock returns and firm values. Em: Journal of accounting and economics, 24(3): 301-336.

Braga, R. & Marques, J. (2000). Medidas de avaliação de empresas: uma evidência de suas relevâncias no caso da Companhia Paranaense de Energia–COPEL. Em: Caderno de pesquisas em administração, São Paulo, 7(4): 13-26.

Braga, R., Nossa, V. & Marques, J. (2004). Uma proposta para a análise integrada da liquidez e rentabilidade das empresas. Em: Revista Contabilidade & Finanças, 15(SPE): 51-64.

Bulgurcu, B. (2012). Application of TOPSIS technique for financial performance evaluation of technology firms in Istanbul stock exchange market. Em: Procedia-Social and Behavioral Sciences, 62: 1033-1040.

Burksaitiene, D. (2009). Measurement of value creation: economic value added and net present value. En: Econ. Manage, 14: 709-714.

Cerqueira, J., Soares, T. & David, M. (2009). Novas evidências sobre a relação entre a geração de valor ao acionista e o valor de mercado das ações: uma análise em painel comparando o EVA® e o MVA® no mercado brasileiro. Em: Pesquisa Ope- racional para o Desenvolvimento, 1(2).

Chen, S., DeFond, M., & Park, C. (2002). Voluntary disclosure of balance sheet information in quarterly earnings announ- cements. Em: Journal of Accounting and Economics, 33(2): 229-251.

Cooper, M., Dimitrov, O. & Rau, P. (2001). A rose. com by any other name. Em: The journal of Finance, 56(6): 2371-2388.

Corrar, L., Paulo, E. & Dias Filho, J. (2009). Análise multivariada para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas.

Costa Junior, N. & Neves, M. (2000). Variáveis fundamentalistas e os retornos das ações. Em: Revista Brasileira de Economia, 54(1): 123-137.

Cunha, D. & Lapeña, J. (2007). Análisis de los métodos de valoración utilizados en la práctica: un estudio con auditores independientes brasileños. Em: Revista Universo Contábil, 3(3): 123-138.

Cunha, D. & Frezatti, F. (2004). Gestão baseada em valor: uma pesquisa no setor hoteleiro do Rio Grande do Norte. Em: Revista de administração, 40.

Dalmácio, F. & Rezende, A. (2008). A relação entre o timeliness ea utilidade da informação contábil e os mecanismos de governança corporativa: evidências no mercado acionário brasileiro. Em: Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 5(3): 163-174.

Damodaran, A. (2002). A face oculta da avaliação. São Paulo: Pearson.

Damodaran, A. (2006). Mitos de investimentos. São Paulo: Pearson.

Eckert, A., Mecca, M., Biasio, R & Maragno, M. (2011). Métodos de avaliação do valor das empresas: proposição de aplicação em uma empresa prestadora de serviços contábeis. Em: Scientia Plena, 7(11).

Famá, R. & Leite, E. (2003). O modelo de avaliação de empresas de Edwards-Bell-

Fávero, L., Belfiore, P., Silva, F. & Chan, B. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Frezatti, F. (1998). Valor da empresa: avaliação de ativos pela abordagem do resultado econômico residual. Em: Caderno de Estudos, 19: 1-16.

Gil, A. (2011). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas. Gitman, L. (2010). Princípios de Administração financeira. 12° ed. São Paulo: Pearson.

Gitman, L. & Joehnk, M. (2005). Princípios de investimentos. São Paulo: Pearson.

Groppelli, A. & Nikbakht, E. (2002). Administração financeira. 2° ed. São Paulo: Saraiva.

Kayo, E., Kimura, H., Martin, D. & Nakamura, W. (2006). Ativos intangíveis, ciclo de vida e criação de valor. Em: Revista de administração contemporânea,10(3): 73-90.

Klapper, L. & Love, I. (2004). Corporate governance, investor protection, and performance in emerging markets.Em: Journal of corporate Finance, 10(5): 703-728.

Klerk, M. & de Villiers, C. (2012). The value relevance of corporate responsibility reporting: South African evidence. Em: Meditari Accountancy Research, 20(1): 21-38.

Kou, G., Lu Y., Peng, Y. & Shi, Y. (2012). Evaluation of classi- fication algorithms using MCDM and rank correlation. Em: International Journal of Information Technology & Decision Making, 11(01): 197-225.

Krauter, E. (2006). Medidas de avaliação de desempenho financeiro e criação de valor: um estudo com empresas industriais. III SEGeT-Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.

Kruger, S. & Petri, S. (2013a). Análise comparativa da causalidade de medidas de desempenho das empresas da BM&FBovespa no período de 2000 a 2010. Em: Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 18(1): 81-103.

Kruger, S. & Petri, S. (2013b). Novas evidências da relação entre medidas tradicionais de desempenho e aquelas baseadas na geração de valor a partir do custo de capital. XVI Semead – Seminários em Administração.

Lazzolino, G., Laise, D., & Migliano, G. (2014). Measuring value creation: VAIC and EVA. Em: Measuring Business Excellen- ce, 18(1): 8-21.

Lemme, C. (2001). Revisão dos modelos de avaliação de empresas e suas aplicações nas práticas de mercado. Em: Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 36(2).

Lin, B. (2007). Information technology capability and value crea- tion: Evidence from the US banking industry. Em: Technology in Society, 29(1): 93-106.

Lovata, L. & Costigan, M. (2002). Empirical analysis of adopters of economic value added. Em: Management Accounting Research, 13(2): 215-228.

Maroco, J. (2003). Análise estatística: com utilização do SPSS. 2° ed. Lisboa: Silabo.

Martelanc, R., Pasin, R. & Pereira, F. (2010). Avaliação de empre- sas: um guia para fusões e aquisições e private equity. São Paulo: Pearson.

Martins, G. & Theóphilo, C. (2007). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Mello, R. & Marcon, R. (2006). Heterogeneidade do desempenho de empresas em ambientes turbulentos. Em: Revista de admi- nistração de empresas, 46(2): 34-43.

Meneses, A., Cunha, L., De Luca, M. & Holanda, A. (2012). Criação ou destruição de valor na perspectiva do EVA® no ranking das maiores empresas da Revista Exame. Em: Revista de Ciências da Administração, 14(34): 103-117.

Mouritsen, J. (1998). Driving growth: economic value added versus intellectual capital. Em: Management Accounting Research, 9(4): 461-482.

Müller, A. & Teló, A. (2003). Modelos de avaliação de empresas. Em: Revista FAE, Curitiba, 6(2): 97-112.

Nagano, M., Merlo, E. & Silva, M. (2003). As variáveis fundamenta- listas e seus impactos na taxa de retorno de ações no Brasil. Em: Revista FAE, Curitiba, 6(2): 13-28.

Oliveira, D. (2004). Manual de avaliação de empresas e negócios. São Paulo: Atlas.

Opricovic, S. & Tzeng, G. (2004). Compromise solution by MCDM methods: A comparative analysis of VIKOR and TOPSIS. Em: European Journal of Operational Research, 156(2): 445-455. Perez, M. & Famá, R. (2006). Ativos intangíveis e o desempenho empresarial. Em: Revista Contabilidade & Finanças, 17(40): 7-24.

Perez, M. & Famá, R. (2008). Métodos de avaliação de empresas e o balanço de determinação. Em: Revista Administração em Diálogo (RAD), 6(1).

Ratnatunga, J. (2002). The valuation of capabilities: a new direction for management accounting research. Em: Journal of Applied Management Accounting Research, 1(1): 1-15.

Raupp, F. & Beuren, I. (2006). Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. Em: Beuren, I. (org.) Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Editora Atlas S. A.

Ross, S., Westerfield, R. & Jordan, B. (2000). Princípios de administração financeira. 2° ed. São Paulo: Atlas.

Salomon, V., Montevechi, J. & Pamplona, E. (1999). Justificativas para aplicação do método de análise hierárquica. Em: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 19.

Salotti, B. & Yamamoto, M. (2008). Divulgação voluntária da demonstração dos fluxos de caixa no mercado de capitais brasileiro. Em: Revista Contabilidade & Finanças, 19(48): 37-49. Samanez, C. (2006). Gestão de investimento e geração de valor. São Paulo: Pearson.

Sauaia, A. (2001). Evaluation of performance in business games: financial and non financial approaches. Em: Developments in Business Simulation and Experiential Learning, 28.

Saurin, V., Mussi, C. & Cordioli, L. (2000). Estudo do desempenho econômico das empresas estatais privatizadas com base no MVA e no EVA. Em: Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, 1(11): 18-26.

Sobue, M. & Pimenta Junior, T. (2012). A relação entre a geração de valor econômico e o valor de mercado das empresas sucroalcooleiras Brasileiras. Em: Revista Contemporânea de Contabilidade, 9(17): 103-120.

Stark, A. & Thomas, H. (1998). On the empirical relationship between market value and residual income in the UK. Em: Management Accounting Research, 9(4): 445-460.

Stewart III, G. (2005). Em busca do valor. São Paulo: Bookman. Street, D., Nichols, N. & Gray, S. (2000). Assessing the acceptability of international accounting standards in the US: an empirical study of the materiality of US GAAP reconciliations by non-US companies complying with IASC standards. Em: The International Journal of Accounting, 35(1): 27-63.

Tortella, B. & Brusco, S. (2003). The Economic Value Added (EVA): an analysis of market reaction. Em: Advances in Ac- counting, 20: 265-290.

Uddin, M. & Alam, M. (2010). The impacts of interest rate on stock market: empirical evidence from Dhaka Stock Exchange. Em: South Asian Journal of Management and Sciences, 1(2): 123-132.

Ulrich, D. (1997). Measuring human resources: an overview of practice and a prescription for results. Em: Human Resource Management, 36(3): 303-320.

Yilmaz, B. & Konyar, A. (2013). Financial Performance evaluation of publicly held lodging companies listed in Istanbul stock exchange with TOPSIS method. Em: European Journal of Scientific Research, 95(1): 143-151.

Young, S. & O’Byrne, S. (2002). EVA e gestão baseada em valor. Bookman.

Zhang, Y., Zhou, J. & Zhou, N. (2007). Audit committee quality, auditor independence, and internal control weaknesses. Em: Journal of accounting and public policy, 26(3): 300-327.

Cómo citar
Pletsch, C. S., Reif, E., & Da Silva, T. P. (2014). Análisis de la relación entre el valor económico agregado (EVA) y los indicadores del mercado de empresas brasileñas. Revista Facultad De Ciencias Económicas, 23(1), 157-173. https://doi.org/10.18359/rfce.613
Publicado
2014-12-31
Sección
Artículos