Salud de las personas con discapacidad en Brasil

Una revisión integrativa en la perspectiva bioética

Palabras clave: Salud, Persona con discapacidad, Bioética, Vulnerabilidad, Derechos humanos

Resumen

La desigualdad permea diversos sectores de la realidad brasileña, de modo que alcanza también la salud. En lo que se refiere a las personas con discapacidad, la asimetría es aún más latente. Esta investigación buscó identificar en las producciones científicas las dificultades enfrentadas por pacientes con discapacidad en Brasil en el ámbito del acceso a la salud, lo que en la práctica acentúa su vulnerabilidad. De esta forma, por medio de la asociación de los descriptores “salud”, “persona” y “discapacidad”, se realizó una búsqueda de publicaciones de 2009 a 2018, en las bases de datos Periódicos Capes, Lilacs y scielo Brasil. Del análisis de 29 artículos, surgieron cuatro categorías: a) preparación profesional para la atención de pacientes con discapacidad; b) barreras a la accesibilidad a la salud; c) comunicación entre paciente con discapacidad y médico/equipo; d) doble vulnerabilidad de la mujer con discapacidad. Las respectivas categorías se estudiaron desde la perspectiva de la bioética debido a la interdisciplinariedad del tema y evidenciaron las dificultades afrentadas por las personas con discapacidad. Como sugerencias de mejoras, es posible destacar la modificación en la actuación médica, la capacitación de los profesionales y el perfeccionamiento de políticas de salud con el fin de garantizar el derecho fundamental a la salud y la autodeterminación de los pacientes.

Biografía del autor/a

Bárbara Bowoniuk Wiegand, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Máster en bioética - Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, Paraná, Brasil.

Jussara Marial Leal de Meirelles, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doctorado en Derecho de las Relaciones Sociales por la Universidad Federal de Paraná. Investigadora Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, Paraná, Brasil.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Bárbara Bowoniuk Wiegand, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Máster en bioética - Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, Paraná, Brasil.

Jussara Marial Leal de Meirelles, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doctorado en Derecho de las Relaciones Sociales por la Universidad Federal de Paraná. Investigadora Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, Paraná, Brasil.

Referencias Bibliográficas

Clotet J. Por que Bioética? Rev. bioet. - Conselho Federal de Medicina (CFM) [Internet]. 2018 [Acesso em: 12 janeiro 2019]; 1(1). Disponível em: http://revistabioetica.cfm.org.br/index.php/revista_bioetica/article/viewFile/474/291

Zanella DC. Van Rensselaer Potter: fundamentos interdisciplinares da bioética. En: Sganzerla A, Schramm FR (Orgs.). Fundamentos da bioética. Curitiba: CRV; 2016. p.15-26.

Potter VR. (2016) Bioética: Ponto para o futuro. Tradução de Diego Carlos Zanella. São Paulo: Edições Loyola; 2016.

WHO (World Health Organization). World Report on Disability; 2011. Disponível em: http://www.un.org/disabilities/documents/sdgs/infographic_statistics_2016.pdf.

Vieira DKR, Favoreto CAO. Narrativas em saúde: refletindo sobre o cuidado à pessoa com deficiência e doença genética no Sistema Único de Saúde (SUS). Interface (Botucatu). [Internet]. 2016;20(56):89- 99. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0203

Costa LSM, Silva NCZ. Desenvolvendo atitudes, conhecimentos e habilidades dos estudantes de medicina na atenção em saúde de pessoas surdas. Interface (Botucatu). [Internet]. 2012;16(43):1107-17. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-32832012005000051

Pessini L, Barchifontaine CP. Problemas atuais de bioética. 8a ed. rev. e ampl. São Paulo: Edições Loyola; 2008.

Munguba MCS, Vieira ACVC, Porto CMV. Da invisibilidade à participação social: promoção da saúde em pessoas com deficiência. Rev Bras Promoç Saúde. [Internet]. 2015;28(4):463-70. Disponível em: https://doi.org/10.5020/18061230.2015.p463

Brasil, Decreto 6.949/2009. [Data de consulta: 04 fevereiro 2020]. Brasília: Presidência da República, 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm

Brasil. Lei 13.146/2015. [Data de consulta: 04 fevereiro 2020]. Brasília: Presidência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Harmatiuk AC, Ziggiotti L. Além do Estatuto a Pessoa com Deficiência: reflexões a partir de uma compreensão dos direitos humanos. En: Menezes, J. B. (org.). Direito das pessoas com deficiência psíquica e intelectual nas relações privadas - Convenção sobre os direitos da pessoa com deficiência e Lei Brasileira de Inclusão. Rio de Janeiro: Processo; 2016. p. 111-130.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. [Internet] 2010;8(1):102- 6. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/s167945082010rw1134

Neves DB, Felipe IMA, Nunes SPH. Atendimento aos surdos nos serviços de saúde: acessibilidade e obstáculos. Rev. Bras. Cienc. Farm. [Internet]. 2016;28(3):157-65. Disponível em: https://doi.org/10.14450/2318-9312.v28.e3.a2016.pp157-165

Holanda CMA, Andrade FLJP, Bezerra MA, Nasci- mento JPS, Neves RFN, Alves SB, Ribeiro KSQS. Redes de apoio e pessoas com deficiência física: inserção social e acesso aos serviços de saúde. Ciênc. Saúde Colet. [Internet] 2015;20(1):175-84. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232014201.19012013

Souza MFNSS, Araújo AMB, Sandes LFF, Freitas DA, Soares WDS, Vianna RSM, Souza AAD. Principais dificuldades e obstáculos enfrentados pela comunidade surda no acesso à saúde: uma revisão integrativa de literatura. Rev. CEFAC. [Internet]. 2017;19(3):395- 405. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-0216201719317116

Tomaz RVV, Rosa TL, Van DB, Melo DG. Políticas públicas de saúde para deficientes intelectuais no Brasil: uma revisão integrativa. Ciênc. Saúde Colet. [Inter-net]. 2016;21(1):155-72. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232015211.19402014

Oliveira YCA, Celino SDM, França ISX, Pagliuca LMF, Costa GMC. Conhecimento e fonte de informações de pessoas surdas sobre saúde e doença. Interface (Botucatu). [Internet] 2015;19(54):549-60. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-57622014.0265

Lima NCL, Baptista TWFB, Vargas EPV. Ensaio sobre 'cegueiras': itinerário terapêutico e barreiras de acesso em assistência oftalmológica. Interface (Botucatu). [Internet] 2017;21(62):615-27. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0642

Girondi JBR, Santos SMA, Hammerschmidt KSA, Tristão FR. Acessibilidade de idosos com deficiência física na atenção primária. Estud. interdiscipl. envelhec. 2014. 19(3):825-37.

Amaral FLJS, Holanda CMA, Quirino MAB, Nasci- mento JPS, Neves RF, Ribeiro KSQS, Alves SB. Acessibilidade de pessoas com deficiência ou restrição permanente de mobilidade ao SUS. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2012;17(7):1833-40. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000700022

Lawrence H, Sousa LP, Gonçalves FL, Saintrain MVL, Vieira APGF. Acesso à saúde bucal pública pelo paciente especial: a ótica do cirurgião-dentista. Rev. Bras. Promoç. Saúde, Fortaleza. 2014. 27(2):190-7. Disponível em: https://doi.org/10.5020/18061230.2014.p190

Carvalho CFS, Brito RS, Medeiros SM. Análise contextual do atendimento ginecológico da mulher com deficiência física. Rev Gaúcha Enferm. [Internet] 2014;35(4):114-7. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2014.04.45335

Castro SS, Carandina L, Barros MBA, Goldbaum M, Cesar CLGC. Associação entre deficiências físicas e hospitalizações na população da cidade de São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública. [Internet] 2013;29(5):992- 8. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2013000500016

Nóbrega JD, Munguba MC, Pontes RJS. Atenção à saúde e surdez: desafios para implantação da rede de cuidados à pessoa com deficiência. Rev Bras Promoç Saúde. [Internet] 2017;30(3):1-10. Disponível em: https://doi.org/10.5020/18061230.2017.6176

Pereira LM, Mardero E, Ferreira SH, Kramer, PF, Cogo RB. Atenção odontológica em pacientes com deficiências: a experiência do curso de Odontologia da ULBRA Canoas/RS. Stomatos. 2010. 16(31):92-9.

França ISX, Oliveira CF, Cruz GKP, Coura AS, Enders BC. Conhecimento de mulheres com deficiência física sobre câncer mamário e autoexame: estratégia educativa. Rev Rene.2012. 13(4):766-4.

França E, Pontes MA, Costa GMC, França ISX. Dificuldades de profissionais na atenção à saúde da pessoa com surdez severa. Cienc. enferm. 2016. X X II(3):107-16. Disponível em: https://doi.org/10.4067/S0717-95532016000300107

Costa LSM. Educação médica e atenção integral à saú- de da pessoa com deficiência. Rev. bras. educ. méd. 2011. 35(3):301-2. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-55022011000300001

Nicolau SM, Schraiber LB, Ayres JRCM. Mulheres com deficiência e sua dupla vulnerabilidade: con- tribuições para a construção da integralidade em saúde. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2013;18(3):863- 72. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000300032

Othero MB, Ayres JRCM. Necessidades de saúde da pessoa com deficiência: a perspectiva dos sujeitos por meio de histórias de vida. Interface (Botucatu). [Inter- net]. 2012;16(40):219-33. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-32832012005000010

Vieira GI, Mendes BCA, Zupelari MM, Pereira IMTB. Saúde auditiva no Brasil: análise quantitativa do período de vigência da Política Nacional de Atenção à Saúde Auditiva. Distúrb. comun. 2015. 27(1):725-40.

Guia ACOM, Neto RO, Escarce AG, Lemos SMA. Rede de Atenção à Saúde Auditiva: perspectiva do usuário. Distúrb. comun. 2016. 28(3):473-82.

Bentes IMS, Vidal ECF, Maia ER. Per- cepção da pessoa surda acerca da assistência à saúde em um município de médio porte: estudo descritivo-exploratório. Online braz. j. nurs. [Internet]. 2011;10(1):1-9. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/j.1676-4285.2011.3210.2/j.1676-4285.2011.3210.1

Othero MB, Dalmaso ASW. Pessoas com deficiência na atenção primária: discurso e prática de profissionais em um centro de saúde-escola. Interface (Botucatu). [Internet]. 2009;13(28):177-88. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-32832009000100015

Pereira RM, Monteiro LPA, Monteiro ACC, Costa ICC. Percepção das pessoas surdas sobre a comunicação no atendimento odontológico. Rev. Ciênc. Plur. 2017. 3(2):53-7.

Castro SS, Lefèvre F, Lefèvre AMC, Cesar CLG. Acessibilidade aos serviços de saúde por pessoas com deficiência. Rev Saúde Púb. 2011. 45(1):99-105. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-89102010005000048

França ISX, Pagliuca LMF. Inclusão social da pessoa com deficiência: conquistas, desafios e implicações para a enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP. 2009. 43(1):178-85. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-62342009000100023

Fernandes AC, Montilha RCI. A atuação fonoaudiológica no acompanhamento integral da pessoa com deficiência visual: um relato de caso. Rev. CEFAC. 45. [Internet]. 2015;17(4):1362-1369. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-0216201517420314

Ursine BL, Pereira EL, Carneiro FF. Saúde da pessoa com deficiência que vive no campo: o que dizem os trabalhadores da Atenção Básica? Interface (Botucatu). [Internet]. 2018;22(64):109-20. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0666

Campos MF, Souza LAP, Mendes VLF. A rede de 47. cuidados do Sistema Único de Saúde à saúde das pessoas com deficiência. Interface (Botucatu). [Internet]. 2015;19(52):207-10. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-57622014.0078

Brasil, Lei 10.436/2002. (2002) Brasília: Presidência da República, 2002. [Data de consulta: 04 fevereiro 2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm

Kottow MH. Comentários sobre Bioética: vulnerabilidade e proteção. In: Garrafa V, Pessini L. (Orgs.). Bioética: Poder e Injustiça. São Paulo: Edições Loyola; 2003. p. 71-78.

Schramm FR. (2017) A bioética de proteção: uma ferramenta para a avaliação das práticas sanitárias? Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2017;22(5):1531-8. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232017225.04532017

Beauchamp, TL, Childress JF. Princípios de ética biomédica. São Paulo: Edições Loyola; 2002.

Unesco. Declaração Universal de Bioética e Direitos Humanos. Tradução: Cátedra Unesco de Bioética da Universidade de Brasília. [Acesso em: 4 fevereiro 2020]. Brasilia; UNESCO; 2005. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/declaracao_univ_bioetica_dir_hum.pdf

Carvalho RRP. Saúde: questões éticas e direitos humanos. En: Carvalho RRP, Rosaneli CF (Orgs.). Bioética e saúde pública. Curitiba: CRV; 2016. p.13-20.

Garrafa V, Porto D. Bioética, poder e injustiça: por uma ética de intervenção. In: Garrafa, V., Pessini, L. (Orgs.). Bioética: Poder e Injustiça. São Paulo: Edições Loyola; 2003. p. 35-44.

Cini RA, Rosaneli CF, Sganzerla A. Categorização dos sujeitos em condição de vulnerabilidade: uma revisão na perspectiva da bioética. Rev. Ibero. Bioética. [Internet]. 2017;5:1-16. Disponível em: https://doi.org/10.14422/rib.i05.y2017.002

Meirelles JML. Diretivas antecipadas de vontade por pessoa com deficiência. En: Menezes JB (org.). Direito das pessoas com deficiência psíquica e intelectual nas relações privadas - Convenção sobre os direitos da pessoa com deficiência e Lei Brasileira de Inclusão. Rio de Janeiro: Processo; 2016. p.713-732.

Sanches MA, Mannes M, Cunha TR. Vulnerabilidade moral: leitura das exclusões no contexto da bioética. Rev. bioet. [Internet]. 2018;26(1):39-46. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-80422018261224

Cómo citar
Wiegand, B. B., & de Meirelles, J. M. L. (2020). Salud de las personas con discapacidad en Brasil: Una revisión integrativa en la perspectiva bioética. Revista Latinoamericana De Bioética, 19(37-2), 29-44. https://doi.org/10.18359/rlbi.3900
Publicado
2020-05-28
Sección
Artículos