Migración y ocupación en el mercado laboral brasileño

Resumen

Las características socioeconómicas y demográficas de los individuos siempre han afectado su ocupación. Sin embargo, pocos estudios empíricos con datos censales han investigado cómo la migración afecta la ocupación. Por lo tanto, este trabajo tiene como objetivo analizar los factores determinantes de la ocupación en migrantes y no migrantes de 15 a 60 años en municipios brasileños. Los datos se han tomado de Censos demográficos brasileños de los años 2000 y 2010. Se revisó la literatura y luego se utilizaron regresiones logísticas multinomiales. Los resultados muestran que, en los dos censos que se sometieron a análisis, los migrantes intermunicipales de fecha fija en Brasil experimentan peores formas de inserción en la ocupación que los no migrantes.

Biografía del autor/a

Luís Abel da Silva Filho, Universidade Regional do Cariri - URCA

Doutor em Ciências Econômicas pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas - IE-UNICAMP. Professor do Departamento de Economia da Universidade Regional do Cariri – URCA, Crato, Brasil.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Luís Abel da Silva Filho, Universidade Regional do Cariri - URCA

Doutor em Ciências Econômicas pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas - IE-UNICAMP. Professor do Departamento de Economia da Universidade Regional do Cariri – URCA, Crato, Brasil.

Referencias Bibliográficas

Barros, R. P. D., Franco, S., & Mendonça, R. (2007). Discriminação e segmentação no mercado de trabalho e desigualdade de renda no Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea).

Bastos, R. L. A. (2014). Desemprego metropolitano no Brasil: 1999-2007. Análise Econômica, 31(61). doi: 10.22456/2176-5456.16743

https://doi.org/10.22456/2176-5456.16743

Biderman, C., & Guimarães, N. A. (2002, March). Desigualdades, discriminação e políticas públicas: uma análise a partir de setores selecionados da atividade produtiva no Brasil. In Comunicação apresentada na II International Conference ilas-cebrap (pp. 18-20).

Bivar, W. S. B. (1993). Aspectos da estrutura do desemprego no Brasil: composição por sexo e duração. bndes.

Bohnenberger, R. (2005). Uma análise regional da discriminação de gênero e raça no mercado de trabalho brasileiro-1992 a 2001 [Doctoral dissertation, Universidade Católica de Brasília]. Biblioteca Digital de Dissertações.

Cacciamali, M. C. (1992). Mudanças estruturais e na regulação do mercado de trabalho no Brasil nos anos 80. ipe/usp (Texto para Discussão Interna, 6).

Carvalho, A. D., Néri, M. C., & Silva, D. D. N. (2006). Diferenciais de salários por raça e gênero no Brasil: aplicação dos procedimentos de Oaxaca e Heckman em pesquisas amostrais complexas. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Corbacho, A. (2002). Labor markets in Central America: informal versus formal sectors. Harvard University.

Corseuil, C. H, Reis, C., & Urani, A. (1997). Determinantes da evolução da estrutura do desemprego no Brasil: 1986-1995. Economia Aplicada. usp, 1(3), 443-467.

Corseuil, C. H., Ribeiro, E. P., Santos, D. D., & Dias, R. (2002a). Criação, destruição e realocação do emprego no Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea).

Corseuil, C. H., Ribeiro, E. P., Santos, D., & Dias, R. (2002b). Job and worker flows in Brazil. Labor market dynamics in Brazil. Final Report, 2nd draft, Part I. Inter-American Development Bank Research Network, 11th round, Fipe-usp.

Crespo, A. R. V., & Reis, M. C. (2004). Decomposição do componente de discriminação na desigualdade de rendimentos entre raças nos efeitos idade, período e coorte. Encontro da anpec. anpec.

Dustmann, C., & Glitz, A. (2011). Migration and education. In Handbook of the Economics of Education (vol. 4, pp. 327-439). Elsevier.

https://doi.org/10.1016/B978-0-444-53444-6.00004-3

Ferreira, A. H. B., & Diniz, C. C. (1995). Convergência entre as rendas per capita estaduais no Brasil. Brazilian Journal of Political Economy, 15(4).

Fiess, N. M., & Verner, D. (2003). Migration and human capital in Brazil during the 1990s. The World Bank.

https://doi.org/10.1596/1813-9450-3093

Freguglia, R. D. S., & Procópio, T. S. (2013). Efeitos da mudança de emprego e da migração interestadual sobre os salários no Brasil formal: evidências a partir de dados em painel. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea).

Freije, S. (2001). El empleo informal en América Latina y el Caribe: causas, consecuencias y recomendaciones de política. Banco Interamericano de Desarrollo, Primer Seminario Técnico de Consulta Regional sobre Temas Laborales.

Funkhouser, E. (1996). The urban informal sector in Central America: Household survey evidence. World development, 24(11), 1737-1751. doi: 10.1016/0305- 750x(96)00074-5

https://doi.org/10.1016/0305-750X(96)00074-5

Gama, L. C. D. (2012). O Programa Bolsa Família pode influenciar a decisão de migrar? Uma análise para o estado de Minas Gerais. Seminário sobre a Economia Mineira, 15.

Gama, L. C. D., & Machado, A. F. (2014). Migração e rendimentos no Brasil: análise dos fatores associados no período intercensitário 2000-2010. Estudos avançados, 28(81), 155-174. doi: 10.1590/ s0103-40142014000200011

https://doi.org/10.1590/S0103-40142014000200011

Graham, D. H. (1970). Divergent and convergent regional economic growth and internal migration in Brazil: 1940- 1960. Economic Development and Cultural Change, 18(3), 362-382. doi: 10.1086/450438

https://doi.org/10.1086/450438

Green, F., Dickerson, A., & Arbache, J. S. (2001). A picture of wage inequality and the allocation of labor through a period of trade liberalization: the case of Brazil. World Development, 29(11), 1923-1939. doi: 10.1016/s0305-750x(01)00071-7

https://doi.org/10.1016/S0305-750X(01)00071-7

Hoffmann, R. (2009). Desigualdade da distribuição da renda no Brasil: a contribuição de aposentadorias e pensões e de outras parcelas do rendimento domiciliar per capita. Economia e Sociedade, 18(1), 213-231. doi: 10.1590/s0104-06182009000100007

https://doi.org/10.1590/S0104-06182009000100007

Hoffmann, R. (2016). Odds Ratio versus Razão de evalências ou Modelo de Lógite versus Regressão de Poisson. Segurança Alimentar e Nutricional, 23(1), 816-825. doi: 10.20396/san.v23i1.8647217

https://doi.org/10.20396/san.v23i1.8647217

Hoffmann, R. (2017). Medidas de polarização da distribuição da renda e sua evolução no Brasil de 1995 a 2013. Economia e Sociedade, 26(1), 165-187. doi: 10.1590/1982-3533.2017v26n1art6

https://doi.org/10.1590/1982-3533.2017v26n1art6

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [ibge] (2000). Censo Demográfico, documentação do arquivo a amostra.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [ibge] (2010).

Censo Demográfico, documentação do arquivo a amostra.

Jatobá, J., & Andrade, E. G. L. D. (1993). A desregulamentação do mercado e das relações de trabalho no Brasil: potencial e limitações. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea).

Kassouf, A. L. (1998). Wage gender discrimination and segmentation in the Brazilian labor market. Economia aplicada, 2(2), 243-269.

Lavinas, L. (1997). Emprego feminino: o que há de novo e o que se repete. Dados, 40(1), 41-67. doi: 10.1590/s0011- 52581997000100003

https://doi.org/10.1590/S0011-52581997000100003

Leal, C. I. S., & Werlang, S. R. D. C. (1991). Retornos em educação no Brasil: 1976/89. Pesquisa e Planejamento Econômico, 21(3), 559-574.

Lewis, W. A. (1969). O desenvolvimento econômico com oferta ilimitada de mão-de-obra. In A. N. Agarwarle & S. Singh (Eds.), A economia do subdesenvolvimento (M. C. Whately, Trans., pp. 406-456). Forense.

Lima, A. D. C., Hermeto, A., & Simões, R. (2011). Migração e inserção no mercado de trabalho: uma abordagem multinomial para a população economicamente ativa do Brasil. XXXIX Encontro Nacional de Economia.

Maciel, F. T., & Hermeto, A. (2011). A migração interna e seletividade: Uma aplicação para o Brasil. Anais do Encontro Nacional de Economia da Anpec.

Maia, A. G. (2006). Distribuição de classes no Brasil: uma nova dimensão para a análise da estrutura social [Doctoral dissertation, Universidade Estadual de Campinas-Unicamp].

Maia, A. G., & Sakamoto, A. (2015). Occupational structure and socioeconomic inequality: a comparative study between Brazil and the United States. Economia e Sociedade, 24(2), 229-261. doi: 10.1590/1982-3533.2015v2 4n2art1

https://doi.org/10.1590/1982-3533.2015v24n2art1

Maia, A., & Quadros, W. J. D. (2009). Tipologia municipal de classes sócio-ocupacionais: uma nova dimensão para análise das desigualdades territoriais no Brasil (No. 109729). Sociedade Brasileira de Economia, Administracao e Sociologia Rural (Sober).

https://doi.org/10.1590/S0103-20032009000200004

Marcouiller, D., de Castilla, V. R., & Woodruff, C. (1997). Formal measures of the informal-sector wage gap in Mexico, El Salvador, and Peru. Economic development and cultural change, 45(2), 367-392. doi: 10.1086/452278

https://doi.org/10.1086/452278

Márquez, G. & Pagés, C. (1998). Ties that Bind: Employment Erotection and Labor Market Outcomes in Latin America. Working Paper 373. Inter-American Development Bank.

Menezes-Filho, N. A. (2001). Educação e desigualdade. In M. Lisboa & N. Menezes-Filho (Eds.), Microeconomia e sociedade no Brasil. epge.

Oliveira, A. M. H. C. D., & Rios-Neto, E. L. G. (2006). Tendências da desigualdade salarial para coortes de mulheres brancas e negras no Brasil. Estudos Econômicos, 36(2), 205-236. doi: 10.1590/ s0101-41612006000200001

https://doi.org/10.1590/S0101-41612006000200001

Orellano, V. I. F., & Pazello, E. T. (2006). Evolução e determinantes da rotatividade da mão-de-obra nas firmas Leal, C. I. S., & Werlang, S. R. D. C. (1991). Retornos em educação no Brasil: 1976/89. Pesquisa e Planejamento Econômico, 21(3), 559-574.

Lewis, W. A. (1969). O desenvolvimento econômico com oferta ilimitada de mão-de-obra. In A. N. Agarwarle & S. Singh (Eds.), A economia do subdesenvolvimento (M. C. Whately, Trans., pp. 406-456). Forense.

Lima, A. D. C., Hermeto, A., & Simões, R. (2011). Migração e inserção no mercado de trabalho: uma abordagem multinomial para a população economicamente ativa do Brasil. XXXIX Encontro Nacional de Economia.

Maciel, F. T., & Hermeto, A. (2011). A migração interna e seletividade: Uma aplicação para o Brasil. Anais do Encontro Nacional de Economia da Anpec.

Maia, A. G. (2006). Distribuição de classes no Brasil: uma nova dimensão para a análise da estrutura social [Doctoral dissertation, Universidade Estadual de Campinas-Unicamp].

Maia, A. G., & Sakamoto, A. (2015). Occupational structure and socioeconomic inequality: a comparative study between Brazil and the United States. Economia e Sociedade, 24(2), 229-261. doi: 10.1590/1982-3533.2015v2 4n2art1

https://doi.org/10.1590/1982-3533.2015v24n2art1

Maia, A., & Quadros, W. J. D. (2009). Tipologia municipal de classes sócio-ocupacionais: uma nova dimensão para análise das desigualdades territoriais no Brasil (No. 109729). Sociedade Brasileira de Economia, Administracao e Sociologia Rural (Sober).

https://doi.org/10.1590/S0103-20032009000200004

Marcouiller, D., de Castilla, V. R., & Woodruff, C. (1997). Formal measures of the informal-sector wage gap in Mexico, El Salvador, and Peru. Economic development and cultural change, 45(2), 367-392. doi: 10.1086/452278

https://doi.org/10.1086/452278

Márquez, G. & Pagés, C. (1998). Ties that Bind: Employment Erotection and Labor Market Outcomes in Latin America. Working Paper 373. Inter-American Development Bank.

Menezes-Filho, N. A. (2001). Educação e desigualdade. In M. Lisboa & N. Menezes-Filho (Eds.), Microeconomia e sociedade no Brasil. epge.

Oliveira, A. M. H. C. D., & Rios-Neto, E. L. G. (2006). Tendências da desigualdade salarial para coortes de mulheres brancas e negras no Brasil. Estudos Econômicos, 36(2), 205-236. doi: 10.1590/ s0101-41612006000200001

https://doi.org/10.1590/S0101-41612006000200001

Orellano, V. I. F., & Pazello, E. T. (2006). Evolução e determinantes da rotatividade da mão-de-obra nas firmas da indústria paulista na década de 1990. Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas fgv-eesp.

Pacheco, C. A. (1999). Novos padrões de localização industrial? Tendências recentes dos indicadores da produção e do investimento industrial. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea).

Ramalho, H. M. D. B. (2005). Migração, seleção e desigualdades de renda-evidências para o Brasil metropolitano a partir do Censo Demográfico de 2000 [Doctoral dissertation, Universidade Federal da Paraíba].

Ramos, L., & Trindade, C. (1992). Educação e desigualdade de salários no Brasil: 1977/89. Perspectivas da Economia Brasileira 1992. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea).

Ribeiro, E. P. (2001). Rotatividade de trabalhadores e criação e destruição de postos de trabalho: aspectos conceituais. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea).

Ribeiro, E. P., & Bastos, V. M. (2004). Viés de seleção, retornos à educação e migração no Brasil. Encontro Brasileiro de Econometria, 26, 1-19.

da Silva Filho, L. A. (2016). Labour market and turnover in the industrial employment in the Brazilian Northeast region. Investigación económica, 75(295), 203-230. doi: 10.1016/j.inveco.2016.03.006

https://doi.org/10.1016/j.inveco.2016.03.006

da Silva Filho, L. A., da Silva, F. J. F., & de Queiroz, S. N. (2015). Nordeste industrial: a fragmentação territorial de uma região periférica. Revista Econômica do Nordeste, 46(2), 9-24.

Silva Filho, L. A. & Clementino, M. L. M. (2013). Perfil Sócio-ocupacional nas Regiões Metropolitanas do Nordeste Brasileiro-2001/2008. Revista Mercator, Fortaleza, 12(28), 35-53.

https://doi.org/10.4215/RM2013.1228.0003

Soares, S. S. D. (2000). Perfil da discriminação no mercado de trabalho: homens negros, mulheres brancas e mulheres negras. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (ipea)

Taylor, E. J. (1999). The new economics of labour migration and the role of remittances in the migration process. International migration, 37(1), 63-88. doi:10.1111/1468-2435.00066

https://doi.org/10.1111/1468-2435.00066

Wajnman, S., & Perpétuo, I. H. O. (1997). A redução do emprego formal ea participação feminina no mercado de trabalho brasileiro. Nova economia, 7(1), 123-147.

Cómo citar
da Silva Filho, L. A. (2021). Migración y ocupación en el mercado laboral brasileño. Revista Facultad De Ciencias Económicas, 29(1), 49-64. https://doi.org/10.18359/rfce.4995
Publicado
2021-03-30
Sección
Artículos
Crossref Cited-by logo