Gobernanza del deporte: ¿una inflexión de la gobernanza global?

  • Juliano Oliveira Pizarro Universidade Federal de Santa Catarina
Palabras clave: Relaciones internacionales, gobernanza global, gobernanza del deporte, tercer sector

Resumen

Es a partir de la percepción de la llamada gobernanza global que parte la investigación actual, donde hay espacio para el surgimiento de diferentes actores que realizan gobernanzas específicas– incluyendo en este escenario el deporte y especialmente el fútbol como un mecanismo social y cultural importante, que es directamente afectada por los procesos de globalización. La investigación se basa en fuentes bibliográficas, documentales, sitios web e investigaciones ya realizadas sobre el objeto. Se observó que los órganos de gobierno deportivos, en especial la FIFA, son organizaciones no gubernamentales que se presentan como instituciones sin fines de lucro, a pesar del comportamiento que oscile a veces como mercado, expresando características híbridas y contradictorias en la dinámica de la gobernanza global, ora como una multinacional, ora como una organización del Tercer Sector, ora como una institución internacional.

Biografía del autor/a

Juliano Oliveira Pizarro, Universidade Federal de Santa Catarina
Cabelo Programa Doutorando Interdisciplinar de Pós-Graduação em HUMANITIES da Universidade Federal de Santa Catarina, mestre em Ciência Política do Programa Pós hair-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de Pelotas, bacharel em Direito Pela Universidade Federal de Pelotas. Realizou rosto Rede Pela Inglês Explicações e-Tec / IFSUL (Campus Cmed) Serviço de Assistência Estágio não Judiciária da UFPel e monitoramento prática do Direito Internacional Público - Intercâmbio Institucional Iniciação Científica (PIBIC) do Programa. Associação Brasileira etiologia desconhecida Ciência Política, conduz investigações de nas áreas de teoria política internacional e Pós-colonialismo, com foco temático NAS na governança global, o poder brando, latino-americanos, decolonialidade futebol e economia política. 

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Juliano Oliveira Pizarro, Universidade Federal de Santa Catarina
Cabelo Programa Doutorando Interdisciplinar de Pós-Graduação em HUMANITIES da Universidade Federal de Santa Catarina, mestre em Ciência Política do Programa Pós hair-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de Pelotas, bacharel em Direito Pela Universidade Federal de Pelotas. Realizou rosto Rede Pela Inglês Explicações e-Tec / IFSUL (Campus Cmed) Serviço de Assistência Estágio não Judiciária da UFPel e monitoramento prática do Direito Internacional Público - Intercâmbio Institucional Iniciação Científica (PIBIC) do Programa. Associação Brasileira etiologia desconhecida Ciência Política, conduz investigações de nas áreas de teoria política internacional e Pós-colonialismo, com foco temático NAS na governança global, o poder brando, latino-americanos, decolonialidade futebol e economia política. 

Referencias Bibliográficas

Agência USP de Notícias (2014). Futebol foi refém de interesses entre FIFA e Comitê Olímpico. São Paulo. Acessado em 7 de junho de 2015, de <http://www.usp.br/agen/?p=173960

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social [BNDES] (2000). Empresas, responsabilidade corporativa e investimento social: uma abordagem introdutória. Relatório Setorial 1. Rio de Janeiro: AS/GESET.

Boniface, P. (2010). Football et mondialisation. Paris: Armand Colin.

Bourdieu, P. (1983). Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero.

Bracht, V. (2005). Sociologia Crítica do Esporte. Ijuí: Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande.

Centro Regional de Informação das Nações Unidas [UNRIC] (2008). ONU e FIFA unem-se em prol da realização dos ODM. Bruxelas. Acessado em 4 de julho de 2015, de <http://www.unric.org/pt/objectivos-de-desenvolvimento-do-milenio-actualidade/27685-onu-e-fifa-unem-se-em-prol-da-realizacao-dos-odm>

Centro Regional de Informação das Nações Unidas [UNRIC] (2010). Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Bruxelas. Acessado em 4 de julho de 2015, de <http://www.unric.org/pt/objectivos-de-desenvolvimento-do-milenio-actualidade>

Comitê Olímpico Internacional [COI] (2015). International Sports Federations. Lausana. Acessado em 8 de maio de 2015, de <http://www.olympic.org/content/the-ioc/governance/international-federations

Damo, A. S. (2005). Do Dom à Profissão. Uma Etnografia do Futebol de Espetáculo a Partir da Formação de Jogadores no Brasil e na França. (Tese Doutorado). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul.

Darn, T. (2011). Reflexões sobre o território do futebol e a copa do mundo FIFA 2014 no Brasil. (Tese Doutorado). Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro.

Drucker, P. F. (1990). Managing the non profit organization. Oxford: Butherworth-Heinemann.

Elias, N. e Dunning, E. (1992). A busca da excitação. Lisboa: Difel.

Favero, P. M. (2006). Globalização, mercantilização e geopolítica do futebol. (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Fédération Internationale de Football Association [FIFA] (2011). El COI, la FIFA y las Naciones Unidas se dan la mano. Zurique. Acessado em 4 de julho de 2015, de <http://es.fifa.com/sustainability/news/y=2011/m=1/news=coi-fifa-las-naciones-unidas-dan-mano-1371240.html>

Fédération Internationale de Football Association [FIFA] (2011a). La colaboración entre la FIFA y la ONU. Zurique. Acessado em 4 de julho de 2015, de <http://es.fifa.com/sustainability/news/y=2011/m=1/news=colaboracion-entre-fifa-onu-1371188.html>

Fédération Internationale de Football Association [FIFA] (2012). Tudo sobre a FIFA. Zurique. Acessado em 16 de junho de 2015 <http://img.fifa.com/mm/document/fifafacts/organisation/02/13/11/06/allaboutfifa_por_portuguese.pdf>

Fédération Internationale de Football Association [FIFA] (2013). Associações. Zurique. Acessado em 12 de setembro de 2013 <http://pt.fifa.com/aboutfifa/organisation/associations.html>

Fédération Internationale de Football Association [FIFA] (2015). Additional event sponsorship. Zurique. Acessado em 6 de julho de 2015, de <http://www.fifa.com/about-fifa/marketing/sponsorship/additional-event-sponsorship.html>

Fédération Internationale de Football Association [FIFA] (2015a). FIFA Partners. Zurique. Acessado em 6 de julho de 2015, de <http://www.fifa.com/about-fifa/marketing/sponsorship/partners/index.html>

Fédération Internationale de Football Association [FIFA] (2015b). Statutes. Zurique. Acessado em 16 de junho de 2015, de <http://www.fifa.com/mm/Document/AFFederation/Generic/02/58/14/48/2015FIFAStatutesEN_Neutral.pdf>

Franco Junior, H. (2007). A dança dos deuses: futebol, sociedade, cultura. São Paulo: Cia das Letras.

Gaffney, C. e Mascarenhas, G. (2006). The soccer stadium as a disciplinary space. Esporte e Sociedade, n. 1, 1-16.

Giddens, A. (2001). A terceira via: reflexões sobre o impasse político atual e o futuro da social-democracia. Rio de Janeiro: Record.

Giglio, S. (2013). COI x FIFA: a história política do futebol nos Jogos Olímpicos. (Tese Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Houlihan, B. (1994). Sport and International Politics. Hemel Hempstead: Harvester Wheatsheaf.

Hums, M. A. e MacLean, J. C. (2009). Governance and policy in Sport Organizations. Scottsdale: Holcomb Hathaway.

Inglis, S. (1994). Exploring volunteer board member and executive director needs: Importance and Fulfilment. Journal of Applied Recreation Research, 19(3), 171-189.

Magalhães, L. G. (2013). Com a taça nas mãos: sociedade, Copa do Mundo e ditadura no Brasil e na Argentina. (Tese Doutorado). Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de História.

Peroni, V. M. V. (2006). Conexões entre o público e o privado no financiamento e gestão da escola pública. EccoS, 8, 111-132. https://doi.org/10.5585/eccos.v8i1.461

Portal da Copa (2012). Bebidas Alcóolicas. Brasília. Acessado em 6 de julho de 2015, de <http://www.copa2014.gov.br/pt-br/tags/bebidas-alc%C3%B3olicas>

Ribeiro, M. A. de S. (2012). Modelos de governança e organizações esportivas: uma análise das federações e confederações esportivas brasileiras. (Tese Mestrado), Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Rosenau, J. N. (2000). Governança, ordem e transformação na política mundial. En J. N. Rpusenau e E. O. Czempiel (Orgs.), Governança sem governo: ordem e transformação na política mundial. Brasília: Editora da Universidade de Brasília.

Street Footaball World (2015). FIFA. Berlim. Acessado em 5 de julho de 2015, de <http://www.streetfootballworld.org/our-partners/fifa>

Street Football World (2015a). Football for Hope: Forum 2013. Berlim. Acessado em 5 de julho de 2015, de <http://www.streetfootballworld.org/project/football-hope-forum-2013>

Street Football World (2015b). Football for Hope: Programme Support. Berlim. Acessado em 5 de julho de 2015, de <http://www.streetfootballworld.org/project/football-hope-programme-support>

Suppo, H. (2012). Reflexões sobre o lugar do esporte nas relações internacionais. Contexto Internacional, 34(2), 397-433. https://doi.org/10.1590/S0102-85292012000200002

Unicef (2014). Unicef and the World Cup. Nova Iorque. Acessado em 31 de agosto de 2017, de https://www.unicef.org/media/media_33963.html

Cómo citar
Pizarro, J. O. (2017). Gobernanza del deporte: ¿una inflexión de la gobernanza global?. Revista De Relaciones Internacionales, Estrategia Y Seguridad, 13(1), 195-219. https://doi.org/10.18359/ries.2876
Publicado
2017-11-21
Crossref Cited-by logo

Más sobre este tema