Incorporação do lodo das estações de tratamento de água e agregado reciclado de resíduo da construção civil em elementos de alvenaria - tijolos estabilizados com cimento

  • Álvaro Chávez Porras Universidad Militar Nueva Granada
  • Ricardo de Lima Isaac Universidade Estadual de Campinas
  • Dione Morita Universidade Estadual de Campinas
Palabras clave: entulho, agregado reciclado, lodos de tratamento de água, componentes solo-cimento, reciclagem de resíduos

Resumen

Resíduos, lodos, de estações de tratamento de água brasileiras são, freqüentemente, lançados diretamente nos corpos d'água, causando impacto ambiental negativo neles. Também, resíduos da construção civil são gerados em grande quantidade e comumente são dispostos em locais inadequados. No entanto, estes podem ser reaproveitados como matérias-primas na própria indústria da construção civil. O presente trabalho está sendo desenvolvido com o objetivo de avaliar a viabilidade da utilização dos lodos dos decantadores das estações de tratamento de água 3 e 4 da Cidade de Campinas, SP, Brasil, juntamente com o agregado reciclado miúdo de resíduo da construção civil deste município, na fabricação de tijolos estabilizados com cimento. Procurou-se incorporar a máxima quantidade de lodo e minimizar a de cimento. Desta forma, foram investigadas as proporções mássicas cimento:agregado reciclado miúdo:lodo de 5:85:10, 5:80:15, 5:75:20, 5:50:25, 10:80:10, 10:75:15, 10:70:20 e 10:65:25. Para cada uma destas proporções, variou-se, como componente principal de avaliação, o teor de umidade do lodo: 0, 50, 70 a 74% e 75 a 80%. Os tijolos foram confeccionados com prensa manual, tipo solo-cimento, e na umidade ótima pré-determinada através de ensaio de PROCTOR. Os resultados mostraram que a umidade do lodo influenciou significativamente na qualidade dos tijolos, sendo possível sua confecção somente com teor de umidade abaixo de 50%. Nenhum tijolo produzido nas condições estudadas no presente trabalho atendeu simultaneamente aos requisitos das normas brasileiras de qualidade - dimensões, absorção de água e resistência à compressão.

Biografía del autor/a

Álvaro Chávez Porras, Universidad Militar Nueva Granada
Engenheiro Industrial, Mestre em Engenharia Civil, Doutor em Engenharia Civil. Professor, Diretor de Pesquisa de Faculdade de Engenharia e Coordenador da Especialização em Planejamento Ambiental e Manejo Integral dos Recursos Naturais, Universidad Militar Nueva Granada, Bogotá, Colômbia.
Ricardo de Lima Isaac, Universidade Estadual de Campinas
Engenheiro Civil pela Universidade  Estadual de Campinas, Mestre em Engenharia Hidráulica e Sanitária. Doutor em Hidráulica e Saneamento, Professor do Departamento de Saneamento e Ambiente da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP.
Dione Morita, Universidade Estadual de Campinas
Engenheira Civil; Doutora em Engenharia Hidráulica e Samitária, Professora do Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária da Universidade de São Paulo; Professora Visitante do Departamento de Saneamento e Ambiente da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Álvaro Chávez Porras, Universidad Militar Nueva Granada
Engenheiro Industrial, Mestre em Engenharia Civil, Doutor em Engenharia Civil. Professor, Diretor de Pesquisa de Faculdade de Engenharia e Coordenador da Especialização em Planejamento Ambiental e Manejo Integral dos Recursos Naturais, Universidad Militar Nueva Granada, Bogotá, Colômbia.
Ricardo de Lima Isaac, Universidade Estadual de Campinas
Engenheiro Civil pela Universidade  Estadual de Campinas, Mestre em Engenharia Hidráulica e Sanitária. Doutor em Hidráulica e Saneamento, Professor do Departamento de Saneamento e Ambiente da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP.
Dione Morita, Universidade Estadual de Campinas
Engenheira Civil; Doutora em Engenharia Hidráulica e Samitária, Professora do Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária da Universidade de São Paulo; Professora Visitante do Departamento de Saneamento e Ambiente da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP.

Referencias Bibliográficas

ABCP - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND. (1998) Fabricação de tijolos de solo-cimento com a utilizaçãode prensas manuais: prática recomendada. São Paulo. SP. 8p.

ANGULO, S C; ZORDAN, S E & JOHN, V M. (2000) Desenvolvimento sustentável e reciclagem de resíduos na construção civil. PCC - Departamento Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica. EPUSP, Universidade de São Paulo, São Paulo.

AWWA, (2001). Commercial application and marketing of water plant residuals - subject área: water treatment.

BARBOSA, R. M.(2001) et al. A toxicidade de despejos (lodos) de estações de tratamento de água: á Daphnia similis (cladocera, crustácea). XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Porto Alegre. RS.

BRASIL. NBR 7182 (1984). - Solo - Ensaio normal de compactação. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de Janeiro.

BRASIL. NBR 8491 (1984)- Cimento - Tijolo maciço de solo-cimento: especificação. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de Janeiro.

BRASIL. NBR 8492 (1989)- Tijolo maciço de solo-cimento - Determinação da resistência á compressão e da absorção d'água. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de Janeiro, 1984. BRASIL. NBR 10.832 - Fabricação de tijolo maciço de solo-cimento com a utilização de prensa manual: procedimiento. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de Janeiro.

BRASIL. NBR 10004 (2004) - Resíduos sólidos: classificação. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de Janeiro.

BRASIL. NBR 10.832 (1989) - Fabricação de tijolo maciço de solo-cimento com a utilização de prensa manual: procedimiento. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Rio de Janeiro.

BRITO, J.A. (1999): Cidade versus entulho. In: II SEMINÁRIO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A RECICLAGEM NA CONSTRUÇÃO CIVIL, São Paulo, 1999. Anais. São Paulo, Comitê Técnico CT206 Meio Ambiente (IBRACON), p. 56-67.

CASSA, J.C.; CARNEIRO, A.P. & SCHADACH, I.A. (2001): Reciclagem de entulho para produção de materiais de construção. Projeto Entulho Bom. Salvador, EDUFBA; Caixa Econômica Federal, Salvador, BA.

CEF - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL.(2001) Reciclagem de entulho para produção de materiais de construção. CARNEIRO, A.P.; BRUM, I.A.S. de e CASSA, J.C.S. EDUFBA - Editora Universidade Federal da Bahia. Salvador. BA. 312 p.

CEPED - CENTRO DE PESQUISAS E DESENVOLVIMENTO (1994). Manual de construção com solo-cimento. São Paulo. SP. 3 ed. 147p.

CHAO, I.R. (2006) Remoção de fósforo de efluentes de estações de tratamento biológico de esgotos utilizando lodo de estação de tratamento de água. Dissertação de mestrado, Escola Politécnica, USP, SP.

CHAVEZ, Á. (2002): Tratamento de efluente têxtil e lodo gerado em um sistema de lodos ativados por batelada com adição de carvão ativado em pó. Dissertação de mestrado, UNICAMP, SP.

CYBIS, L. F. & DOS SANTOS, C. V. J.(2001): Aplicação das técnicas de produçãomais limpas na indústria da construção civil - estudo de caso, XXI Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental.

CORDEIRO, J.S.(1999) Importãncia do Tratamento e Disposição Adequada dos Lodos de ETAs. Noções Gerais de Tratamento e Disposição Final de Lodos de Estações de Tratamento de Água, PROSAB (Programa de Pesquisa em Saneamento Básico). São Paulo.SP.

CEPED - CENTRO DE PESQUISAS E DESENVOLVIMENTO (1984). Manual de construção como solo-cimento. São Paulo.SP. 3ed. 147p.

DI BERNARDO, L. (1999) Disposição de resíduos líquidos de ETAs em ETEs. In: Noções gerais de tratamento e disposição final de lodos de estações de tratamento de água, Marco Antônio Penalva Reali (coord). ABES.

DIJKEMA, G.P.J.; REUTR, M.A.; VERHOEF, E.V.(2000): Anew paradigm for waste management, Waste Management, 20 (8): 633-368

GRANDIN, S. R.; ALEM SOBRINHO, P. & GARCIA JR., A.D. (1993) Desidratação de lodos produzidos em estações de tratamento de água. In: XII Congresso Brasileiro De Engenharia Sanitária E Ambiental, Natal.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). (2007) Disponível: http://www.ibge.gov.br, março.

ISAAC, R.L. Caracterização, tratamento e disposição final de lodo ETA (2000). Curso Extensão Faculdade de Engenharia Civil - Unicamp. Campinas. SP. 2001.

JOHN, V M & AGOPYAN, V. (2000.) Reciclagem de resíduos da construção. Departamento de Engenharia de Construção Civil, Escola Politécnica da USP (PCC USP).

MORITA, D.M.; SAMPAIO, A.O.; MIKI, M.K. e DAVID, A.C.(2002) Incorporação de Lodos de Estações de Tratamento de Água em Blocos Cerâmicos. In: X Simpósio Luso-Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, SILUBESA, Anais (CD-Rom), pp. 1-15. Braga. PORTIGAL. 15-1.

NUNES, M.S; SARTORI, H.J.F. Caracterição Geotécnica de Lodos Provenientes de Estações de Tratamento de Água e de Esgotos Sanitários. XIX Congresso ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Foz do Iguaçu. PR.

ONU (1987) - Organização das Nações Unidas; Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: Nosso futuro comum ou relatório Brundtland.

PINTO, T.P. (1995): De volta á questão do desperdício. Construção. São Paulo: Pini, n. 2491, p.18-19, nov.

PINTO, T.P.(1997): Resultados da gestão diferenciada. Téchne, n.31, P 31-34, nov/dez.

REALI, M.A.P.(1999) Espessamento de lodos de ETAs. In: Noções gerais de tratamento e disposição final de lodos de estações de água, Marco Antônio Penalva Reali (coord.), Rio de Janeiro, ABES.

RICHTER, C.A. (2001): Tratamento de lodos de estações de tratamento de água, São Paulo, SP.

RICHTER, C.A. (Acceso em 16/02/2007). Tratamento de lodos de estações de tratamento de água. Editora Edgard Blücher LTDA. São Paulo, SP.2001.

SANASA - Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. E-mail Gerência ETA's 3 e 4 Sousas.

SARON, A. & LEITE, V.M.B. (2001): Quantificação de lodo em estação de tratamento de água. In: XXI Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. João Pessoa, Brasil.

WU, C.C. & HUANG, C.(1997): Effects if recycling-sludge operation on the structure and moisture cont of floc in water treatment plant. Separation Science and Technology, v 32, No 17, p. 2873 - 2882.

YUZHU, W. (1996): Condicionamento de lodo de estação de tratamento de água: estudo de caso. Dissertação de Mestrado, Escola Politécnica Universidade de São Paulo, São Paulo, 419 p.

ZORDAN, S(1997). A utilização do entulho como agregado, na confecção do concreto. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas, UNICAMPO, Campinas, SP.

Cómo citar
Chávez Porras, Álvaro, de Lima Isaac, R., & Morita, D. (2008). Incorporação do lodo das estações de tratamento de água e agregado reciclado de resíduo da construção civil em elementos de alvenaria - tijolos estabilizados com cimento. Ciencia E Ingeniería Neogranadina, 18(2), 5-28. https://doi.org/10.18359/rcin.1486
Publicado
2008-12-01
Sección
Artículos